Melhores práticas e normas internacionais de contabilidade

No início do século XXI, as demonstrações e resultados contábeis ainda eram discutidos e mensurados em um sistema rudimentar. Aumentando a descrição, de forma prejudicial ao andamento da logística empresarial. Com a Lei número 11.638 de 28 de dezembro de 2007, o setor enxergou, finalmente, um código de comunicação e ação aplicado em todo o mundo. Assim instaurou-se a International Financial Reporting Standards, ou IFRS, ou simplesmente Normas Internacionais de Contabilidade. Posteriormente, o dia a dia das empresas ganhou uma melhoria significativa nas movimentações financeiras de cada setor. Entenda melhor como as normas ainda funcionam nos dias atuais com este artigo exclusivo do Grupo Insigne!

Veja o que representam as normas internacionais de contabilidade

pesquisa de normas internacionais de contabilidade

Contexto

Antes da lei de 2007, o Brasil ainda não vivia com as normas internacionais de contabilidade. Ao contrário, foi estabelecida uma lei em 1976, a de número, 6.404, onde muitas cláusulas perderam, com o tempo, a efetividade. Isso porque a globalização pressionou os países a criarem sistemas mais unificados de comunicação. Com o advento das normas internacionais de contabilidade, otimizou-se as demonstrações contábeis das empresas, a administração dos órgãos governamentais e a ementa das faculdades.

Um ponto importante a se destacar é que durante a aplicação das normas internacionais de contabilidade, e não apenas em 2007, como até hoje em dia, o processo é de harmonização. Diferentemente da padronização aplicada em outros setores. A grande diferença em harmonizar em vez de padronizar é que as normas, mesmo internacionais, recebem alterações necessárias de acordo com a realidade empresarial brasileira. Contudo, não perde sua funcionalidade quando o assunto é comunicação contábil global.

Em geral, com as normas internacionais de contabilidade o setor passou a emitir relatórios e demonstrativos em padrões internacionais harmonizados com a realidade brasileira.

Estrutura

As normas internacionais de relatórios financeiras, como entendemos até aqui por normas internacionais de contabilidade, são emitidas pelo IASB, International Accounting Standards Board (Conselho de Normas Internacionais de Contabilidade).

Em sua estrutura de funcionamento, toda a documentação, para ser apresentada em âmbito internacional, deve seguir um modelo de estrutura já determinado legalmente. Deve-se, então, informar todos os resultados e real posição financeira de interesse aos fornecedores, investidores, empregados, clientes e associados; avaliação demonstrativa deve ser embasada no custo histórico, valor realizável, valor presente e custo corrente; relevância, transparência, equilíbrio, clareza e confiabilidade devem fazer parte das demonstrações feitas a partir das normas internacionais de contabilidade; podem fazer parte das demonstrações: fluxo de caixa, balanço patrimonial, notas e demonstração de resultados.

Vantagens

A principal vantagem de aplicar as normas internacionais de contabilidade à empresa é a possibilidade de poder acompanhar a globalização em tempo real. Aplicar transparência e confiabilidade às demonstrações e demais relatórios contribui para a fluidez da comunicação com possíveis investidores e outros interessados no âmbito mundial. Além disso, as normas contribuem para a observação de desempenho da empresa em nível nacional e global.

E quais são os impactos e desafios das normas internacionais de contabilidade?

O grande impacto, neste caso, é positivo. As normas internacionais de contabilidade possibilitam que órgãos governamentais e empresas falem na mesma língua que outros países. Isso gesticula a possibilidade de melhorias para as movimentações financeiras dos negócios e de todo o país, atraindo investidores e outros interessados, como dito anteriormente. Inserir o país na corrida da globalização é a principal demanda nos tempos atuais, e crescerá potencialmente no mercado pós-pandemia.

Dentre os desafios, com certeza o de adaptar toda a contabilidade anteriormente estabelecida com os padrões locais da lei de 76, com a nova lei. Por mais burocrático que pareça, seguir um sistema antigo e obsoleto só congela a empresa no tempo. E não é esse o objetivo, correto? Poder adaptar-se à língua mundial dos relatórios financeiros é oportunidade efetiva de crescimento e potencialização da receita.

Entretanto, não é necessário criar setores desesperadamente ou mexer com as próprias mãos no assunto. Você, enquanto empresário, pode confiar nas mãos de quem entende do assunto e usufruir das normas internacionais de contabilidade da melhor e mais sustentável maneira. Quer saber como? Continue a leitura!

Você já pensou em terceirizar o serviço?

estudando as normas internacionais de contabilidade

Contratar um serviço de contabilidade terceirizado atribui inúmeros benefícios à gestão empresarial. Não é necessário arcar com encargos trabalhistas, nem com a logística para estabelecer o novo setor. O Grupo Insigne possui profissionais especializados nas normas internacionais de contabilidade que podem auxiliar sua empresa nesse momento.

Ainda tem dúvidas?

Para aplicar nossos excelentes e recomendados serviços à realidade da sua empresa, basta entrar em contato e nos explicar sua situação. Prontamente iremos lhe atender com soluções cabíveis e adaptadas às necessidades. E sabe por quê? Porque somos uma empresa altamente experiente em consultoria contábil.

Aproveite para saber mais sobre nossos serviços visitando as páginas: BPO Financeiro, BPO Contábil, BPO Fiscal e Tributário e RH estratégico. Fique atento ao blog do Grupo Insigne para mais artigos exclusivos como este que irão solucionar suas dúvidas!

© 2020 Grupo Insigne Desenvolverdor